No último post conhecemos um pouco mais sobre San Pedro Valley, o ecossistema mineiro de startups. Falamos sobre o incentivo a novas ideias e também sobre aceleradora de negócios. Mas o que seria uma aceleradora de negócios? Nesse post tentaremos fazer você entender melhor.

Apesar de ser o sonho de muitas pessoas, empreender nem sempre é fácil, e uma startup geralmente demanda que seu enxuto time saiba de tudo um pouco: finanças, marketing, vendas, administração, programação, etc. Portanto, ajudas costumam ser bem-vindas para lidar com o mercado e reduzir riscos.

Como o próprio nome já indica, o papel de uma aceleradora de negócios está ligado a, de fato, acelerar o desenvolvimento de novos negócios potenciais. Ou seja, aceleradoras dão meios para que um novo empreendimento possa se desenvolver até atingir seu ponto de equilíbrio ou se manter sozinha no mercado.

A primeira aceleradora de negócios conhecida foi a Y Combinator, que surgiu no Vale do Silício em 2005. Estima-se que atualmente mais de 500 startups tenham sido financiadas pela Y Combinator, como por exemplo a Airbnb e o Dropbox. De lá, a ideia se espalhou e hoje já existem inúmeras aceleradoras pelo mundo.

COMO FUNCIONA?

Diferentemente das incubadoras, que apoiam empresas nascentes tradicionais em locais estratégicos, as aceleradoras buscam por projetos inovadores e escaláveis. Isso quer dizer aqueles que possuem rápido potencial de crescimento, o que justifica o curto período de tempo dos programas oferecidos – que geralmente é de três a oito meses.

Dessa forma, seu papel está em oferecer mentorias, treinamentos, fornecer contatos e acesso a profissionais qualificados em áreas diversas, ou seja, oferecer ferramentas até que o negócio se estruture melhor e se estabeleça no mercado.

A estruturação da empresa, a remodelagem do negócio, a definição de estratégias e o networking, estão entre as principais vantagens de se participar de um programa de aceleração. Além disso, o investimento e sua parcela de retorno são variáveis e irão depender dos acordos firmados entre a aceleradora e a empresa.

Atualmente as aceleradoras se dividem entre públicas e privadas. As privadas financiam negócios com capital próprio, usualmente em troca de participação acionária. Já as públicas, como é o caso do SEED em San Pedro Valley, contam com o apoio do governo, que destina verbas para estimular a economia e o desenvolvimento tecnológico.

COMO PARTICIPAR

Para participar é preciso se inscrever nos diversos processos disponibilizados pelas aceleradoras. Geralmente eles são abertos a quaisquer empreendedores, mas com competitividade cada vez maior. Apesar de cada aceleradora apresentar processos e requisitos distintos, inovação, sustentabilidade e dedicação costumam ser características importantes para um projeto.

No Brasil hoje há um grande número de aceleradoras de negócios. Você pode procurar por alguns nomes conhecidos como: Germinadora (SP), Aceleratech (SP), Aceleradora (MG), SEED (MG), Techmall (MG), 21 212 (RJ), Start You Up (ES), Artemisia (SP/PE), Wow (RS), Criabiz (SP), entre diversas outras.


 

Se você tem interesse, a internet certamente é uma boa fonte de pesquisa para você encontrar a mais indicada para o seu projeto!