O estudo da eletrônica pode variar de acordo com os inúmeros cursos e instituições pelo mundo, mas conhecer e saber identificar os cinco componentes a seguir é parte crucial para entender a eletrônica básica.

São eles:

RESISTOR

Como seu nome indica, sua função é oferecer resistência na passagem de corrente elétrica, aproveitando o calor gerado ou reduzindo tal corrente em algum ponto do circuito.

O tipo mais comum é feito de carbono e sua unidade de medida é o “ohm, sendo que, quanto maior o seu valor, maior dificuldade a corrente encontra em passar pelo resistor e maior a queda de tensão ao final da passagem.

 

CAPACITOR

É o componente que armazena a carga elétrica. Possui duas placas separadas por um material isolante (dielétrico) que, quando submetidas a uma corrente elétrica, se carregam com cargas positivas e negativas gerando efeitos utilizados na eletrônica. O principal efeito é a capacitância e a unidade de medida é o “farad” ou “micro farad”.

É muito utilizado como filtro em circuitos eletrônicos e no dobrador de tensão das fontes de alimentação de computadores.

Existem diversos tipos de capacitores e de diversas composições que se destinam a aplicações distintas. Outra característica interessante do capacitor é a possibilidade de liberar toda a carga armazenada de forma quase instantânea como no caso dos flashes de máquinas fotográficas.

 

DIODO

Diodos são responsáveis por permitirem a passagem de corrente apenas em uma direção, ou seja, impedindo seu sentido contrário.

Para isso, utiliza semicondutores como silício e germânio que em estado natural são isolantes, mas recebendo uma dopagem conduzem eletricidade com características especificas a cada componente e aplicação.

Os cristais que os formam são comumente chamados de P e N, sendo P o anodo e N o catodo, e a corrente fluindo apenas de P para N.

Um tipo especial dos diodos é o LED, ou diodo emissor de luz, que quando transpassado por uma corrente elétrica emite luz. Entre as suas vantagens estão o baixo consumo elétrico e grande durabilidade, sendo muito utilizado atualmente como lâmpadas domésticas e em diversos outros tipos de iluminação.

 

TRANSISTOR

É considerado o componente mais “importante” da eletrônica – o substituto das válvulas termiônicas que possibilitou todo o avanço que temos na área até hoje.

É, basicamente, um diodo com possibilidade de controlar a passagem de corrente elétrica. Possui três terminais: base, emissor e coletor, por onde a corrente é conduzida, caso ela exista.

Os transistores também têm como característica a amplificação de sinais (efeito transistor) e regulagem de tensões.

Com o avanço nas técnicas de fabricação hoje é possível construir transistores microscópicos, e agrupá-los aos milhões – como nos processadores atuais. Por exemplo, estima-se que um computador Core i7 tenha cerca de 731 milhões de transistores.

 

FUSÍVEL

Um dos componentes mais simples (e importantes!) dos aparelhos eletrônicos, o fusível serve para proteger o equipamento de uma sobrecarga elétrica, a fim de não danificá-lo ou causar maiores estragos como incêndios.

O dispositivo então impede que a corrente alcance níveis muitos altos causando um curto circuito em um transistor, por exemplo.

Sua classificação é em relação à tensão e corrente por ele suportada sem queimar, ou seja, de acordo com o equipamento a ser protegido. Um fusível queimado é facilmente identificável, apresentando seu fio interno partido ou o interior “preto”. Quando for substitui-lo, esteja atento e troque por um de mesma capacidade para não comprometer a proteção do seu aparelho eletrônico.


Conseguiu refrescar sua memória? Aguarde outros posts sobre eletrônica e dê suas sugestões em nossas redes sociais.